puro-porno:

MAS QUE DELICIA DE VIDEO ;D
GEMIDAS DELICIOSAS

#boss

Anjinha ou diabinha ?

Bem, sou professor, sou solteiro, e particularmente sou muito atraente, além de ser muito comunicativo e falar muito bem, por isso nunca tive problemas para arranjar mulheres para transar,  Tenho 23 anos, sou moreno claro, olhos castanhos escuros, cabelos preto e liso, 1,73 de altura, 72Kg, não sou nenhum sarado mas mantenho a forma, bem o que vou relatar desta vez pra vocês leitores foi o dia em que transei com uma amiga minha e mais dois amigos, tudo começou no meu trabalho, Jane (nome fictício) era minha aluna e meus colegas de trabalho sabiam que eu andava comendo ela de vez em quando, ela é uma morena com carinha de anjo, cabelos pretos estilo chanel até o ombro, olhos verdes e grandes, boquinha pequena, 1,65 de altura e mais ou menos uns 49k, ela tinha 19 anos e a coisa que ela mais gostava era de ser fodida, e como eu a comi bem, ela fazia tudo o que eu queria, meus amigos duvidaram disso e propuseram então que eu à convencesse a transar comigo na frente deles, e eu disse que ia fazer melhor que isso, disse que iria fazer ela transar comigo e com eles ao mesmo tempo, um dia convidei ela para passar o final de semana no meu apartamento, ela chegou no sábado era umas 19:00 horas e estranhou, pois meus amigos já estavam lá, o Ricardo e o Hélton, o Ricardo é magro e baixinho, o mais novo da turma, pois tinha apenas 18 anos, e o Hélton tinha 25 anos, um moreno alto e forte e com um cacete descomunal (23 cm), quando ela entrou no meu apartamento ela já imaginava o que estava por acontecer, ela estava com uma saínha preta e uma mini blusa azul sem sutiã e uma sandalinha azul, estava uma loucura, nós estávamos assistindo TV, e claro era um filme pornográfico, ela achou estranho que estávamos os 3 na sala sentados no sofá e o colchão da cama estava sobre o tapete da sala, quando ela viu aquilo, o Ricardo desligou a luz, eu puxei ela para meus braços e dei um grande beijo em sua boca, e é claro fui muito bem correspondido, eu á beijava, e passava minhas mãos pelo seu corpo, e ela começou a ficar louca, o que era sempre fácil de fazer, pois ela se excitava com extrema facilidade, eu passava minhas mãos pela sua bunda por baixo da saia, e comecei a falar no seu ouvidinho, “você hoje vai ter 03 caralhos só pra você quer ? quer?” e repetia isso a todo tempo, bem perto do seu ouvido e ela que no inicio só gemia e não falava nada passado um determinado tempo falou que queria, eu disse pra ela repetir e para meu espanto e surpresa disse “eu quero, eu quero todos estes caralhos tapando todos os meus buraquinhos”, isso foi a chave para que Ricardo e Hélton levantassem do sofá e se despissem, em quanto eu a despi em dois puxões, em um arranquei sua blusa e em outro sua saia e sua calcinha, ai ela ali em pé apenas com sua sandalinha azul e mais nada com seu lindo corpo todo a nossa merece,seus seios firmes como laranjas e seus biquinhos durinhos demonstram o tamanho da sua excitação, no meio de 3 homens nus com os paus duros como pedra, ela ajoelhou-se, e não se fez de rogada abocanhava ora um ora outro e sempre punhetando os dois que sobravam, vou por traz dela e comecei a chupar a sua xaninha quase sem pelos, pois ela sempre raspava quase que todinha, ela gemia e se contorcia, Ricardo chupava seus seios e ela firme chupando o caralhão do Hévertom que mal cabia em sua boca, não tinha como explicar o por que de uma gata como ela se submeter a uma putaria destas, a única explicação é de que não só o homem, mas as mulheres também adoram sentir prazer, e ela rebolava na minha boca, e com muita sofreguidão dava uma gemidas com o pau do Hélton na boca, foi quando a botei de quatro no sofá, coloquei uma camisinha e a penetrei com força, ela apesar de estar completamente molhadinha pelas minha chupadas e as suas gozadas soltou um urro de dor e eu sem dó nem piedade iniciei uma série de estocadas fortes e firmes, parando por alguns segundos e rebolando um pouquinho, tentei segurar o máximo que deu mas não resisti por muito tempo, e gozei em quanto ela chupava os dois caralhos, no que eu gozei Hélton também encheu a boca dela de porra, ela tentou engolir tudo, mas sem sucesso, pois era muita porra e ela ficou com a cara toda melada, Ricardo posicionou-se atrás dela e na mesma posição começou a penetra-la, eu ofereci meu pau pra ela chupar, o que ela sem duvida fez com muito gosto e maestria, ela já tinha gozado muito quando Ricardo gozou, ela já estava extremamente cansada, quando eu sentei no sofá e pedi para ela me dar o seu cuzinho, como já não era a primeira vez que eu fazia isso, ela sentou-se no meu caralho de costas pra mim e iniciou um sobe e desce maravilhoso, Hélton vendo aquela cena, ela rebolando, subindo e descendo do meu pau, com sua xaninha toda exposta não pensou duas vezes, aproximou-se e começou a forçar a entrada da sua xana, Ricardo aproximou-se também para ajudar a equilibra-la em cima do meu caralho e forçava suas pernas bem para o alto e completamente abertas, então Hélton começou a penetra-la, com seu mastro de 23 cm, eu sentia o corpo dela tremer cada vez mais a cada centímetro que ele enfiava, ela chegou a chorar, pedimos se ela queria que parássemos e ela respondeu que queria ser fodida e enrabada, quando ela disse isso, nós iniciamos um vai e vem sincronizado, ela gozava sem parar, tremia, tentava chupar o pau do Ricardo, sem muito sucesso, pois as estocadas a faziam delirar, ela jogava a cabeça para os lados, mordia os lábios urrava, falava palavras desanexas, dava tapas nas costas do Ricardo e dizia para nós arromba-la, nosso tesão começou a aumentar e junto o ritmo das estocadas e nós gozamos, os dois quase que ao mesmo tempo, no inicio do nosso orgasmo escutava também os gritos dela, mas depois só senti o corpo dela amolecer sobre o meu e ela desmaiando, demos um banho nela, ela ainda desacordada, e a colocamos dormir, no outro dia ela acordou e estávamos eu e ela deitados nus no colchão da sala, Ricardo em um sofá e Hélton em outro também pelados, Transamos ainda o domingo inteiro com direito a mais dois sanduíches inclusive com o Hélton atolando o seu cacetão no cuzinho dela, mas isso já é outro conto, até mais, e viva aos relacionamentos liberais.

Comendo a secretária


Trabalho em uma empresa multinacional e possuo um cargo gerencial, algo que em uma cidade pequena é bastante notório, gera um status e rende alguns casos. Na minha equipe tinha mais de 200 pessoas no time operacional e no admiistrativo, tinha além de uma equipe de staff, uma linda estagiária. Baixinha, loira, boca deliciosa, corpinho mignon, uma delicia..

Eu, apesar de casado, sempre fui viciado em sexo, e qualquer oportunidade, não deixava passar. Eu estava louco nela e ela não dava bola pra mim, pois eu tinha que ser discreto, para não comprometer meu trabalho e meu cargo.

Comecei trocar algumas msg com ela e logo surgiu os flertes, pedi o telefone dela e disse que tinha um presente para ela, tinha gravado um cd com musicas para ela. Marquei de nos encontrarmos fora da empresa. Ela foi, divinamente vestida de mini saia, eu tremia e estava nervoso, ela percebeu e logo mostrou ser uma verdadeira ninfeta, pois sorriu maliciosamente e perguntou:” está com medo de que?”, eu não mordo, só quando me pedem”.. Ela viu que eu estava de aliança, e logo nos atracamos num beijo delicioso..passava minhas mãos dentro da sua saia e ela tentava mostrar que era certinha e não queria. Nos contivemos, e não rolou nada neste dia.

No dia seguinte, eu chamei ela na minha mesa, pois precisava da ajuda dela para conferir oorçamento (mentira, eu estava era louco por ela). Imprimi uma folha A0 (daquelas com mais de 1m x 1m) e assim cobria quase que toda minha mesa, ela sentou do meu lado e com a folha sobre a mesa, logo sinto sua mão sobre meu cacete, que já estava duro (só de lembrar, já fico com pau duro denovo). Uma coisa que me orgulho é do meu cacete, que é grande (21cm, grosso e uma cabeça rosada que elas adoram). Eu estava em transe, a sala cheia de gente e nós ali, ela me masturbando deliciosamente e as vezes olhava para mim…Eu com as contas do depto, salários e tudo aberto, mostrando para uma estagiária…queria curtir o momento!!!

Nos dias que se passaram, eu queria mais e já estava perdendo a noção do perigo… Tinha um galpão meio abandonado e no horário de almoço, marquei que queria encntrar ela lá, pedi para que no dia seguinte ela viesse com uma langerie vermelha…Ela não estava preocupada com nada, pois estava se sentindo a poderosa, namorando o chefão, e não tinha medo de nada…Eu, depois que o tesão baixava, morria de medo de alguém descrobrir, mas o tesão era maior…

No horário marcado, fui ao encontro, ela estava lá, sorrindo e perguntando se eu estava com medo. Aquela mistura de tesão e medo, me deixava louco, e ela me disse: “olha a marquinha da minha calcinha”, “era essa cor que vc queria”??

fiquei louco, nos beijamos, eu deitei ela no chão mesmo, abaixei uma calça e vi aquela linda deusa só de calcinha, enfiada no cuzinho e uma buceta lisinha, cai de boca, chupei, lambi e fui enfiando o dedo na sua bucetinha, ela sorria, gemia e pedia para chupar meu pau. Pus meu cacete e ela começou a chupar, dava pra ver que ela não tinha muita destreza e parecia ser a 1a vez, mas foi bom..Logo, pus ela de quatro, chupei seu cuzinho delicioso e mirei para comê-la, quando ela vira e fala: “sou virgem”!! Na mesma hora, não sei como consegui, mas não comi ela ali. Pensei: Como sou casado, tenho uma experiencia na prática do sexo, se eu comer essa ninfeta, ela não vai largar do meu pé!!

Chupei ela e pedi para ela chupar até eu gozar…ela prontamente obedeceu e gozei na boca dela. Uma delicia…

Tudo

Os dois homens estavam sentados na frente do carro, suas mulheres no banco de trás. Diogo dirigia o carro. Ao seu lado, seu amigo e companheiro de aventuras sexuais, Caio. Atrás de Caio, Débora, a esposa de Diogo e atrás de Diogo, Karina, a esposa de Caio.
Estavam indo para a casa de Diogo e Débora, prontos para uma rodada de muito sexo. E ali no carro a ferveção já começou. Com o celular, Caio começou a fotografar as duas e elas, na mesma hora já pensaram em fotos sensuais. Ali mesmo a Karina abriu sua calça e Débora puxou-a para a frente, junto com a calcinha. A bucetinha dela apareceu e Caio fotografou.
Débora insistiu em que novas fotos fossem feitas e ele, virando-se para trás, ajudou a puxar outra vez a calça de Karina, aproveitando para passar o dedo na rachinha. E a Débora, bem safada, começou a tirar o top que Karina usava, deixando-a com os peitos de fora. Ela gritou, assustada: Gente, vocês estão doidos? Estamos no meio da rua, vão me ver!
Todos riram e continuaram com a farra. Nessa altura, para ser solidária, Débora também baixara as alças de sua camiseta e estava com os seios à mostra. Diogo não podia fazer nada, pois estava dirigindo, mas o Caio estava aproveitando a situação, enfiando o dedo nas xotinhas das duas.
Finalmente chegaram à casa. Entraram e se sentaram na chaise. Caio, Karina, Débora e Diogo. Este último pegou o celular para ver as fotos que haviam sido feitas no carro. Ficaram todos vendo, rindo, debochando. As duas se beijaram e isso foi o sinal para a farra começar. O top de Karina foi baixado e Débora beijou os dois biquinhos dela. Caio protestou que não era apenas a mulher dele que ia deixar os peitos de fora. Débora então começou a tirar a camiseta e ele caiu de boca nos biquinhos dela
Os dois ficaram mamando e beijando as duas e as mãos delas já procuram ansiosas pelos paus protegidos pelas calças jeans. Os seios eram segurados e amassados pelas mãos dos dois, indistintamente. Diogo não perdeu tempo, tirou a roupa toda e voltou a mamar nos peitos de Karina que o punhetava. Enquanto isso, Caio tirava a calça de Débora e ficava dando tapinhas e beijos na bunda. Já estavam todos no clima certo para uma tarde de muito sexo.
O pau de Diogo era chupado, enquanto Caio e Débora continuavam nos amassos, beijos e chupões. Mas não demorou para que eles ficassem nus também e Caio metesse o pau na xotinha de Débora. Deitada, ela recebia o pau dele e as mãos do marido percorriam seus peitos. Já o Diogo continuava a ser chupado pela Karina. Débora era escandalosa, gritava bastante enquanto o Caio metia. Já do outro lado, a chupação de pau continuava. Era uma das coisas mais apreciadas pela Karina. O Diogo, no entanto, interrompeu e colocou-a deitada no sofá para poder comê-la.
O Caio colocava a Débora de quatro e a comia. A cabeça dela estava bem próxima da cabeça de Karina, o que servia para elas se acariciarem enquanto eram comidas. Uma em dog style e outra em papai e mamãe. As duas gemiam e os dois metiam. Houve um momento em que a cabeça de Débora ficou por cima da de Karina e elas aproveitaram para se dar um beijo bem gostoso enquanto eram sacudidas pelas bombadas que os dois lhes davam.
- Vou gozar, disse o Diogo. Karina pegou o pau dele e o punhetou até ver o esperma derramar-se sobre seu corpo. Quando viu os dois terminando, Caio tirou o pau e bateu uma para sua porra cair na bunda de Débora.
Foram tomar banho, os quatro dentro do boxe. Ficou apertado! Mas assim era bom, fazia com que eles se tocassem e logo estavam todos prontos para novos embates. Voltaram à sala e dessa vez os maridos estavam com suas respectivas esposas. Enquanto Caio punha Karina deitada e chupava sua buceta, Diogo fez Débora ficar de quatro e ficou enfiando dois dedos em sua xotinha.
Quando cansou, ficou em pé e sua mulher foi chupar-lhe o pau. Como se tivessem combinado, dali a pouco Diogo colocou Débora deitada e foi chupar-lhe a xotinha, e o Caio ficou em pé para ter seu pau chupado pela esposa.
Das chupadas, Diogo passou aos dedos enfiados novamente, e via Caio curvar-se sobre Karina e enfiar-lhe o dedo no cu. Quando Diogo voltou a chupar, Débora deu sinais de que estava quase gozando e ficou alucinada quando viu Caio enfiando um dedo no cu e outro na xotinha de Karina. E gozou quando Diogo comeu-a de ladinho, massageando seus peitos e ela vendo, do lado, Karina cavalgando o marido.
Gozaram todos, de novo. Encerraram por aquele dia, mas logo iriam se encontrar novamente para uma gostosa troca de casais!(escrito por Kaplan)

© ALL THEME